segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Ele é doce e perigoso

Além de ser um gatilho para a obesidade e seus desdobramentos, o consumo do açúcar reduz a atividade do nosso sistema imunológico, deixando o organismo suscetível aos vírus e bactérias. Até mesmo adoçantes devem ser usados com moderação.


O sabor doce está relacionado com a sensação de prazer e de recompensa. Toda vez que consumimos algo doce o cérebro libera neurotransmissores como a dopamina, serotonina e peptídeos opioides, que são responsáveis por uma sensação de bem-estar.  Na época em que os homens precisavam “caçar” seu alimento, esse mecanismo era muito importante para a sobrevivência, pois fazia com que eles buscassem alimentos ricos em açúcares naturais, como frutas, mel e raízes, que eram fontes importantes de calorias e iriam garantir sua sobrevivência.

Hoje em dia, o açúcar está presente em um número enorme de produtos industrializados, prontos para consumo e de rápido acesso. Segundo estudos, essa ativação do mecanismo de recompensa que antes servia para garantir a sobrevivência, hoje está relacionada a um comportamento de compulsão, fazendo com que cada vez mais se manifeste a “necessidade” de comer açúcar. “Quanto mais comemos, mais desejamos”, explica nossa  nutricionista Talita Drecksler.